segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Eu beijei aquela boca vermelha

Eu beijei aquela boca vermelha
Era feito fogo de tão quente
Senti ser atingido por uma telha
Com este beijo tão caliente

E aquela boca me ficou na lembrança
Marcas dela por todo o meu pescoço
Como doce desejado por uma criança
Cada mordida me deixava menos moço

Agora eu sonho com aquela cena
Acordo com uma tamanha frustração
E saudades daquela boca tão pequena

Se eu encontrá-la em outra ocasião
Não pensarei uma segunda vez
Beijarei até não sobrar rubidez

20.10.2012

por: Antonio Lima Júnior

sábado, 12 de dezembro de 2015

paredes

um galão de tinta
pra cada amor em vão
e eu pintarei minha casa
na rua da solidão

16.06.2014

por: Antonio Lima Júnior

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

terno pós-moderno

faço um casaco
com a pele
do cassaco
quem diria
que a poesia
seria um saco

14.10.2014

por: Antonio Lima Júnior

domingo, 29 de novembro de 2015

objeto navegador não-identificado

navego pelos mares
do teu coração
encontro um canto qualquer
no átrio esquerdo
para me atracar
e declaro guerra
aos ventos que te trazem
a tristeza de uma tarde
de domingo
morgada

29.09.2014

por: Antonio Lima Júnior

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

domingo, 22 de novembro de 2015

sem essa, édito

o sistema solar é um lixo
e eu como todo bom
corpo celeste
propago calor
até me apagar
e quem sabe
minha luz chegue até você
daqui alguns bilhões
de anos-luz
estampado em alguma camisa
da riachuelo
ou nos best-sellers
dos semanais

11.09.2015

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

águas em marte

já encontraram
água em marte
mas ainda não achei
um modo de amar-te

28.09.2015

por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Noites

Em noites macabras
Eu apenas escrevo
Minhas emoções estampadas
Em alto relevo

Em noites vazias
De solidão avassaladora
Minha alma vira
Da tristeza pastora

Em noites melancólicas
Com sofrimento eterno
A dor aparece
Vestida de terno

Em noites tediosas
Aos prantos adormeço
Pensando em ti
Eu apenas padeço

11.10.2010

por: Antonio Lima Júnior

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

diálogos com woyzeck

Todo homem é um abismo
que há de se perder
no demônio dos teus olhos

27.07.2015

por: Antonio Lima Júnior

domingo, 1 de novembro de 2015

frequências

na primeira vez
ela deixou
a inocência

na segunda vez
um brinco
na cômoda

e na terceira
um coração
quebrado


22.06.2015

por: Antonio Lima Júnior

terça-feira, 27 de outubro de 2015

lou reed morreu

inocência
perdida tão cedo

mãos pequenas
que podem retroceder o tempo
e retorcer o espaço
esganando
e enganando
a morte
que vos espera
pacientemente
pelos cantos mais sórdidos
e sombrios
do trajeto

quero tocar teus dedos
encontrar o que há por trás da capa
que nos leva aos bastidores
sentir as vibrações que não tive
enquanto vivo

ouço as batidas do meu coração
no ritmo das batidas em minha porta
e da bateria da música que estou ouvindo
no volume máximo
tudo
é o mesmo
som

arranho as paredes
ecoando as distorções da guitarra
a última sinfonia é tocada
o regente já pode deitar o corpo
e esperar
os aplausos da plateia
e as luzes acesas
indicando as saídas
do grande concerto

28.10.2013

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

fatalidade

há mais de trinta anos
me dizem que o sonho acabou
mas eu nem cheguei a tempo
para sonhar com algum coisa

sempre com essa sensação
de ter chegado atrasado na vida...

14.07.2015

por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

21 de outubro de 2015

Marty McFly já não sabe mais
em que época está
pois o futuro
é o mesmo passado conservador
e a luta de classes segue
de volta para o presente

21.10.2015

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

remédio pra fascismo é poesia revolucionária

eles disseram
que era muito ousado
citar Brecht
imaginem quando os trabalhadores
perderem a paciência

19.10.2015

por: Antonio Lima Júnior

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

fraca força messiânica (ou ao meu primeiro ano de juventude comunista)

o primeiro de muitos
onde aprendi
a segurar uma bandeira
histórica
pintada com o sangue
de antigos
camaradas
que ousaram lutar
e ousaram vencer
mesmo que a vitória tenha sido escrita por outros

e como muitos
por não sermos poucos
não basta a salvação de um
mas de todos
por uma alternativa
contra tudo que está aí

construiremos
um mundo novo
com nossas mãos
uma foice
um martelo
e muitas vidas
de camaradas dispostos
à revolução
e à emancipação de todos

aos que virão
e aos que já estão a segurar
esta bandeira
os saúdo
porque fomos
somos
e seremos
comunistas

15.10.2015

por: Antonio Lima Júnior

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

ustramente

uma ditadura
tão brilhante
que seus generais
morrem tranquilos
com suas patentes
de comandantes

e os verdadeiros
heróis
outrora torturados
continuam
com seus corpos
não identificados

15.10.2015

por: Antonio Lima Júnior

terça-feira, 13 de outubro de 2015

leite ninho

não tem leite ninho
que cure a fome
de estar sozinho

08.08.2014

por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

silêncio e olhar

eu me apaixono todos os dias
no centro
nas ruas do benfica
na pracinha da terceira etapa
do josé walter
debaixo da estátua do padim
no ônibus
nos bares

porque a paixão é silêncio
e olhares

15.01.2014

por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

roda punk

te encontrei
naquela festa
acertei a tua testa
e foi amor
à primeira roda punk

18.08.2013

sábado, 12 de setembro de 2015

Setembro

as torres que caíram
em onze de setembro
foram as gêmeas pernas
de Salvador Allende.

11.09.2013

por: Antonio Lima Junior

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

7 de setembro

No dia da independência
acordei dependente
químico
político
filosófico

acordei sem dente
sem voto
sem juízo
sem noção

gritaram às margens
do ipiranga
enquanto eu vomitava
no canal do Crato

fizeram uma bandeira
enquanto eu dava bandeira
por aí

cantaram um hino
enquanto eu cantava
o bregão da Lady Laura

Dom Pedro foi primeiro
eu fui o segundo
a desfilar por aí
montado num cavalo
sem capacete
e sem nação para aplaudir

07.09.2014

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

um trago romântico

Nosso primeiro encontro
foi no mínimo estranho

ela queria fumar
mas não o cigarro inteiro
e comprou um por quarenta e cinco
centavos

acendeu

deu umas duas tragadas
e me fez fumar o resto
deus, como sou péssimo
tusso mais que fumo

um câncer por um beijo
quem nunca fez isso?

21.02.2013

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

interior

por dentro
somos todos
feras enjauladas
e só eu sei
a monstruosidade que é
dentro de mim

05.04.2013

por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

terça-feira, 4 de agosto de 2015

gosto

era mês de agosto
e eu senti desgosto
por não sentir o gosto
do teu beijo

04.08.2013

por: Antonio Lima Júnior

terça-feira, 28 de julho de 2015

estão chegando os haikais

Pra me fazer tão bem
só com os teus beijos
e um disco do Jorge Ben

05.09.2014

por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 15 de julho de 2015

quarta-feira, 1 de julho de 2015

mais do mesmo

Primeiro dia
do mês de julho
e eu estou
bêbado
sozinho
deitado
sobre uma pilha de revistas
e embalagens de biscoito

Pensando na vida
e percebendo
o quanto é ruim
ser capricorniano

alguns buscam sentidos
cabalísticos
sobre o primeiro dia de um mês
a lua minguante
com o sol sobre a casa do caralho
mas eu só quero
o meu almoço

meus amigos dizem
que eu sou uma fraude
mas o que posso fazer
quando não sei mais
nem quem eu sou?

Todos os dias
são assim
sempre
o mais do mesmo

01.07.2013

por: Antonio Lima Júnior

terça-feira, 30 de junho de 2015

remédio

uma canção
e um copo
de cana
pra desintoxicar
o coração

09.03.2015

por: Antonio Lima Júnior

quinta-feira, 25 de junho de 2015

imundice

minha poesia é imunda
pegue o papel
e limpe sua
bunda

16.02.2015

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 22 de junho de 2015

amor de manifestação

eu blackbloc
ela coxinha
se amando na praça
como dois vândalos

27.02.2014

por: Antonio Lima Júnior

sexta-feira, 12 de junho de 2015

meu dia dos namorados

Meu amor
é um copo de cerveja
um filme pornô
uma masturbação
antes de dormir

uma poesia mal feita
uma unha encravada
sangrando
sujando o piso branco
do meu quarto

no dia dos namorados
eu faço a barba
compro algumas cervejas
assisto um filme
bato uma punheta
e vou dormir
feliz

11.06.2013

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 8 de junho de 2015

a saudade

a saudade
é coisa rara
esqueci no bagageiro
do guanabara

07.04.2015

por: Antonio Lima Júnior

domingo, 24 de maio de 2015

quinta-feira, 21 de maio de 2015

coração

Coração não é panfleto
pra sair distribuindo
a todo mundo
mas coração é copo d'água
não se deve recusar
a ninguém

30.08.2013

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 11 de maio de 2015

registrado em versos

sentado no batente
meu coração
latente
quer um pouco mais
daquilo que ficou
pra trás
entre a gente
e agora estou
meio carente
de tudo que deixamos
entre os cantos
onde nos amamamos

mas ainda sinto
em mim
teu cheiro
de rosas
(ou de jasmim?)
nunca defini bem
assim como nas canções
de Jorge Ben
só quero deixar
registrado
em versos mal rimados
o coração apaixonado
que aponta
loucamente
por todos
os lados

até encontrar
naquela direção
o outro lado
do teu coração

10.05.2015

por: Antonio Lima Júnior

quinta-feira, 7 de maio de 2015

mão santa

às vezes o mundo fica louco
nessa tal análise de conjuntura
querer defender um governo
que finge cuspir na estrutura
botando qualquer motossera
pro ministério da agricultura

23.11.2014

por: Antonio Lima Júnior

terça-feira, 5 de maio de 2015

ressaca

a solidão
lhe devora
às cinco horas
da manhã

quando não há mais nada
para beber

quando o calor
começa a esquentar
mas você quer dormir
e sua cabeça
trêmula
lhe impede de deitar

o sol aparece
e você continua sentado
esperando
o cansaço
entorpecente
que lhe traga
a resposta
para todas as suas
dúvidas
mais latentes

até que o último
raio da aurora
te faça lembrar
que há sempre uma
esperança
mas que você
acabou pegando
o túnel errado

03.04.2015

por: Antonio Lima Júnior

terça-feira, 28 de abril de 2015

simples amado amante

eu, simples amado amante
guardo as preocupações da vida
numa tampa de refrigerante

por: Antonio Lima Júnior

03.07.2014

domingo, 12 de abril de 2015

Bote fé no amor

Fui tomar banho de rio pensando em você
E quase me afoguei
Encontrei no fundo a chave pro seu coração
Mas ainda não entrei

Você diz que nosso amor é um erro
Que nunca dará certo
Mas bato o pé e tento provar o contrário
E sei que estou perto

Minhas palavras não vão fazer você acreditar
Mas não me canso de dizer
Que eu te amo e não aguento mais
Ficar tão longe de você

Já rezei pra tanto santo que me esqueci
Santo Antônio, Nietzsche, Falcão
Mas nenhum deles foi capaz de fazer
Você escutar meu coração

Mas eu não perco a fé nesta paixão
Porque o amor sempre prevalece
Eu sei que um dia tudo vai dar certo
O futuro ainda tece

28.06.2012

por: Antonio Lima Júnior

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Fechado para protesto

Parei de escrever
poesias deprimentes
pois não há tempo
para se lamentar
quando devemos
estar nas ruas.

Adiante, camaradas!
Que a poesia se faça
concretamente
nas calçadas
nas esquinas
nas manifestações.
Que a nossa poética seja
a revolucionária!

20.06.2013

por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 1 de abril de 2015

domingo, 29 de março de 2015

dormir

dormir
na noite mais profunda
porque infelizmente
amanhã é segunda

02.09.2013

por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 25 de março de 2015

Língua

A mesma língua que fode
É aquela que também pode
Cantar-te nos meus versos
Entre os verbos mais complexos

Completando com o latim
Aquilo que está dentro de mim
Com algumas palavras em alemão
Eu peço teu amor, a tua mão

Que não me deixes em francês
Venha me amar no português
Daquele jeitinho bem brasileiro

Me abrace sem soltar nenhum pronome
Me chame apenas pelo meu sobrenome
E que me queiras por inteiro

21.12.2011

por: Antonio Lima Júnior

domingo, 15 de março de 2015

cafeteira

na segunda-feira
ela devolveu
minha cafeteira
e nunca mais voltou
deixando um vazio
na minha vida
inteira

10.03.2015

por: Antonio Lima Júnior

sábado, 14 de março de 2015

pequeno ansioso

você me disse
que chegaria às quatro
e ao meio dia
arrumei o quarto
enchi as garrafas de água
às duas
fiz o café às três
e as três e meia
escolhi os filmes

já são dez horas
e você ainda não chegou
o café esfriou
a cama já está desarrumada
já assisti todos os filmes
finalizei um jogo
terminei a discografia do frank zappa

maldito seja
Saint-Exupéry

05.12.2014

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 9 de março de 2015

remédio

uma canção
e um copo
de cana
pra desintoxicar
o coração

09.03.2015

por: Antonio Lima Júnior

o homem é tão mínimo...

Um bilhão de estrelas
um pequeno planeta habitável
banhado pela luz de uma estrela solar
e o reflexo de uma lua
satélite natural

entre tantos e tantos corpos celestes
há corpos vivos
vida esta segundo a concepção
de um dos seres vivos,
o ser humano

Dentro de nós
entre tantos ossos
órgãos e veias
tudo feito por átomos
espaços vazios
tão vazios como os meus sentimentos
dentro de um coração metafórico

o coração concreto
bombeia sangue ao corpo
enquanto o metafórico
bombeia poesias
sem nenhuma direção

10.06.2013

por: Antonio Lima Júnior

terça-feira, 3 de março de 2015

merenda

amor maior do mundo
não há quem entenda
o que eu tenho por ti
é melhor que qualquer
merenda

03.03.2015

Por: Antonio Lima Júnior

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

pandeiro mundi

conheço o mundo
tocando pandeiro
saindo do crato
pro rio de janeiro

07.01.2015

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

mapa da mina

fiz um mapa do teu corpo
sei onde estão todos os sinais
as cicatrizes
e as marcas dos meus beijos

por onde passo
catalogo suas vivências
seus desejos
sonhos
e realidades

sou o cartógrafo
e também o explorador
fiz teu mapa
para melhor te conhecer
e navegar pelos teus lábios
escalar teus seios
e me aventurar pelo teu sexo

11.11.2013

por: Antonio Lima Júnior

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Beijei você atrás do trio elétrico

Beijei você atrás do trio elétrico
Naquele domingo de Carnaval
Em meio ao bloco quilométrico
Achei você, meu par ideal

Segurei na sua mão ainda suada
De tanto pular naquele bloco
O beijo que dei na sua boca molhada
Outro desses pelo meu coração troco

Depois da festa vem a agonia
De ir embora sem saber o futuro
Se verei você algum outro dia

Se o meu amor estará maduro
Ou se ele morrer por baixo do pano
Só saberei no Carnaval do próximo ano

14.02.2013

Por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Eu sei

Eu sei que
você me ama
mas não sei
a linha tênue
entre o acordar
e o levantar da cama

29.06.2013

por: Antonio Lima Júnior

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Hoje é sábado

Hoje é sábado
dia de distribuir
os pedaços do meu coração
partido
há muito tempo

09.03.2013

por: Antonio Lima Júnior

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

co-oração

Colecionei corações alheios
e deles fiz um colar
um amuleto
para me proteger do dia
em que o meu coração se tornará
souvenir
na estante alheia
de um amor futuro

16.06.2014

por: Antonio Lima Júnior

domingo, 1 de fevereiro de 2015

nove da noite e eu já não sei o que escrever

de bucho cheio
num domingo
alheio
no mês
de fevereiro

numa cidade
qualquer
na região
do cariri
peço um sanduíche
com catupiry

pra passar
a solidão
passo manteiga
no pão
pra não ficar
de bobeira
com fome
no sertão

01.02.2015

por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

y só lamento

isolado
feito lua minguante
tampo minhas feridas
com fita isolante

28.01.2015

por: Antonio Lima Júnior

domingo, 25 de janeiro de 2015

imortal

e no sétimo dia
bateu aquela depressão
e deus nunca mais foi o mesmo
nos domingos

07.11.2014

por: Antonio Lima Júnior

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

gueixa

ela me olhou
com aqueles olhos
de gueixa
e com aqueles lábios
sabor de ameixa
me beijou naquela manhã

09.12.2013

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

voraz

eis que de repente
aquela loira serpente
abocanhou meu coração
e num copo de aguardente
guardou a semente
daquela velha paixão

08.09.2014

por: Antonio Lima Júnior

sábado, 17 de janeiro de 2015

análise de conjuntura

só mexendo fundo
na lata do lixo
saberemos enfim
quem é quem
no jogo do bicho

12.01.2015

por: Antonio Lima Júnior

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

presilha

você partiu
e eu fiquei com a presilha
que você usava no cabelo
como lembrança
daquele teu abraço
onde eu senti o cheiro do teu cabelo
com perfume de até mais ver

07.11.2014

por: Antonio Lima Júnior

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015